Operação Iceberg denuncia 29 pessoas na região

Políticos e servidores das Câmaras Municipais supostamente desviavam dinheiro através de cursos
13/09/2018

 

Após cerca de dois anos de investigação do desdobramento da Operação Iceberg em São Bento do Sul e Rio Negrinho, a Polícia Civil concluiu o inquérito que apurava o suposto desvio de dinheiro público através de diárias e cursos definidos como fraudulentos pelos investigadores.

 

Na manhã desta quinta-feira (13), o delegado da Regional, Odair Sobreira, e o delegado da Investigação Criminal (DIC), Gustavo Muniz, receberam a imprensa para expor os fatos e o nome dos acusados do ilícito com dinheiro público.  

 

Ao total, foram 29 indiciados, sendo destes, 19 pessoas de Rio Negrinho e 10 de São Bento do Sul. Entre eles, de Rio Negrinho, são nove ex-vereadores, já de São Bento do Sul, um vereador em exercício, e outros ex-vereadores também são citados como participantes do esquema, que causou um rombo de cerca de R$ 1,3 milhão aos cofres públicos, após correção monetária dos valores.

 

Segundo os documentos divulgados pela Operação, o Legislativo de São Bento do Sul, deste montante, teve um prejuízo de, após os valores corrigidos, aproximadamente R$ 120 mil. Já Rio Negrinho sofreu um baque bem mais significativo: mais de R$ 1,1 milhão.  

 

Confira a matéria completa na edição desta sexta-feira (14).